FANDOM


Aslan - PG
Aslanposter

É o criador e Rei de Nárnia, um ser divino que em Nárnia é conhecido pela sua forma de Leão. É a autoridade máxima sobre as terras de Nárnia.

AtribuiçõesEditar

É um ser incrível e majestoso, que aparece de tamanhos diferentes para pessoas diferentes. É maior que todos os outros leões, por isso se torna também aterrorizante.

À medida que as pessoas crescem, ele cresce com elas. Natureza sábia, com toda a sua força voltada para o bem, no entando, como os narnianos dizem, "Ele não é um leão domesticado." Com toda a sua força, é perigoso, um inimigo invencível.

O verdadeiro rei de Nárnia, está lá sempre no momento certo, todos os narnianos crêem nele, e o obedecem fielmente. Normalmente, volta a Nárnia para ajudar os governantes em momentos difíceis e ensina-los lições pesoais. Constantemente cuida de Nárnia, embora não resolva todos os problemas dos seus habitantes. Aslan traz seres humanos á Nárnia, não só para ajudar Nárnia, como para ensinar-lhes lições.

Por ser divino, Aslan possui as mais diversas habilidades, oniprescença é um dos exemplos. Essas habilidades são muito diversificadas, e também talvez ilimitadas. Transportar, curar, mudar de forma. Ele cura seres petrificados apenas com a sua respiração. A Magia Profunda é o único limite à capacidade de Aslan. Ela foi escrita pelo Imperador de Além-Mar, pai de Aslan, que cita profecias, que serão cumpridas nos seus respectivos momentos.

NárniaEditar

A CriaçãoEditar

“Nárnia, Nárnia, desperte! Ame! Pense! Fale! Que as árvores caminhem! Que os animais falem! Que as águas sejam divinas!”.
--Aslan durante criação de nárnia.
Aslan-PC

Foi assim, de maneira mágica, que Aslam deu início ao mundo de Nárnia. 1900 no ano da terra, surgiu Nárnia, fruto de um vazio escuro, Aslan criou tudo, as criaturas, as paisagens, o céu e as estrelas, apenas cantando e rugindo. Nárnia foi uma "sombra" da glória e da beleza do País de Aslam, que é a Narnia "real". Aslan presenciou a escrita da Magia profunda pelo seu pai, o Imperador de Além-Mar.

Foi feito um macho e uma fêmea de cada espécie de animais de Nárnia, adotaram os poderes do pensamento e da fala, eventualmente gerando as diversas espécies presentes em Nárnia muitos anos depois.

Franco e Helena, dois seres humanos são coroados por Aslan como Primeiro Rei e Rainha de Nárnia, todos os seres humanos de Nárnia são descendentes deles. Jadis, uma meio-gigante do mundo de Charn, para a terra do norte do penhasco de Ettin.

Digory Kirke, outro ser-humano da terra, foi ordenado por Aslan a buscar uma maçã de uma Árvore chamada como Árvore da Juventude, as sementes cresceram, e por sua vez tornou-se uma árvore e gerou frutos. Aslan permitiu a Digory que levasse uma maçã à terra, para curar a sua mãe que padecia de uma doença. A semente dessa maçã cresceu e se tornou uma árvore, a mesma em que a madeira foi usada para a fabricação do Guarda-Roupa em que Lúcia encontra Nárnia.

Que tenha fim o invernoEditar

O anuncio de que a profecia de Cair Paravel logo se cumpriria, ocorreu quando os quatro irmãos Pevensie chegaram a Nárnia pela primeira vez, então Aslan voltou a Nárnia, a fim de ajuda-los na batalha contra a Feiticeira
Aslan-resurrected
Branca. A presença de Aslan, começou a pôr fim no inverno. Após chegar em Nárnia, Aslan começou a se reunir com fiéis na Mesa de Pedra.

Depois do encontro com Susana, Lúcia e Pedro, e saber da traição de Edmundo, Aslan enviou um exército para resgata-lo do poder da Feiticeira Branca. A magia profunda dizia que quem cometesse traição, pertenceria a Feiticeira Branca, tornando Edmundo parte dos seus. Para poupar a vida de Edmundo, Aslan aceita se sacrificar na mesa de pedra. Mas também de acordo com a Magia Profunda, aquele inocente que se sacrificasse por um traidor, seria ressuscitado. Depois de ter ressuscitado, Aslan reavivou todos os narnianos que estavam petrificados no Castelo de Jadis, levando consigo todos eles para o campo de batalha. Chegando lá, Aslan logo derrotou a Feiticeira Branca, assim vencendo a guerra.

Após a batalha do Beruna, ocorreu a coroação dos Pevensie, no castelo de Cair Paravel, Aslan vai embora logo depois da coroação dos quatro irmãos.

Revolução NarnianaEditar

LWW-Artwork-Aslan

Durante a dominação Telmarina, Aslan esteve ausente de Nárnia, fazendo que os Narnianos caçados e oprimidos perdessem a fé nele. Mas, quando os Quatro irmãos pevensie foram chamados através da Trompa de Susana, Aslan voltou, e, aos poucos fez com que os Nárnianos voltassem a acreditar nele. Mesmo nãoi seguindo Aslan, eles confiavam nele mais uma vez, e, consequentemente, Aslan acordou os narnianos hibernados e chamou um deus do rio para terminar a Segunda Batalha do Beruna.

A coroação de Caspian X como o rei de Nárnia, ocorre após a vitória Narniana da segunda Batalha do Beruna. Aslan dá aos Telmarinos a opção de continuar vivendo em Nárnia, vivendo em paz com os Narnianos.

A busca pelos Sete Lordes PerdidosEditar

Encontrar os Sete Lordes Perdidos, e consequentemente o País de Aslam. Edmundo, Lúcia e seu primo Eustáquio Mísero são chamados para Nárnia a fim de se juntarem a Caspian em sua jornada, Aslan também
Aslan

Aslan em VPA

ensina-lhes lições pessoais. Na Ilha do Dragão, Aslan ajudou Caspian, Edmundo e Lúcia aprenderem a resistirem à ganância. Aslan ajudou a Lúcia a superar suas inseguranças. a ganancia por ouro de Eustáquio o transformou em um dragão, a fim de ajudá-lo a superar seus próprios defeitos.

A procura pelo Príncipe RillianEditar

Lilliandil, a esposa de do Rei Caspian, foi morta pela Feiticeira Verde, e seu único filho, Rillian foi sequestrado, pela feiticeira, que planejava usá-lo para dominar Nárnia. Caspian, já bastante velho, procura Aslan para auxiliá-lo na escolha do próximo Rei de Nárnia após a sua morte, haja vista sua crença de que Rillian jamais seria encontrado. Sabendo que Rillian estava vivo, mas enfeitiçado pela Feiticeira Verde, Aslan enviou Eustáquio Mísero e Jill Pole (uma colega de escola de Eustáquio), para Nárnia e ordenou-os a encontrar o herdeiro do trono. Eles cumpriram a sua missão ao lado de Brejeiro, um paulama, mas, antes de retornarem ao reino, o Rei Caspian morreu, deixando o trono vago para Riliian assumi-lo.

Destruição de NárniaEditar

Durante o governo do Rei Tirian, uma guerra foi travada entre Narnianos e Calormanos, o que devastou as duas terras. Aslan, após a guerra, anunciou o fim de Nárnia e o julgamento de seus habitantes; os fiéis, bons e inocentes foram para o País de Aslan, onde haveria paz eterna; os demais tiveram destino desconhecido. Além disso, o Grande Leão causou um acidente ferroviário na Terra quando todos os participantes terrestres da história de Nárnia, incluindo o Sr. e a Srª. Pevensie, estavam no trem, sendo também levados para o País de Aslan. Ele ordenou para que Pedro "fechasse a porta" de Nárnia para sempre.
Cronicasnarnia1-9-

A única exceção da família Pevensie foi Susana. Aslan decidiu não levá-la por ter perdido a fé em Nárnia. Ela não presenciou o acidente e continuaria vivendo na Terra. Há teorias de que poderia retornar a Nárnia posteriormente se restabelecesse sua crença.

Aslan em outros mundosEditar

Em O Sobrinho do Mago, Nárnia é apresentada como apenas um de vários mundos em um multiverso. Existem variados Universos Paralelos com os seus próprios planetas, habitantes e leis. É possível que Aslan esteja presente em todos eles como uma figura divina, apresentando-se com nomes e formas diferentes para cada um. Duas identidades conhecidas são o leão Aslam, em Nárnia, e a figura humana de Jesus Cristo, na Terra. Outras formas e denominações são desconhecidas.